Os Encantos dos Rosés

Os vinhos rosés são alegres, vibrantes, refrescantes, divertidos, democráticos, descontraídos, confortantes, acolhedores, elegantes e delicados. Atualmente são produzidos em quase todos os países produtores de vinho e com uma enorme variedade de tipos de uvas. Podem variar de vinhos secos até vinhos doces ao paladar. Sua paleta de cores é belíssima e pode conter uma vasta quantidade de tons diferentes, variando desde um rosé provençal, rosa claro, pétala de rosa, salmão claro, rosado, rosa salmão, rosa profundo, rosa escuro até a um vermelho claro. Recebe diversos nomes em vários países como rosato na Itália, rosado na Espanha, blush wine nos Estados Unidos e rosé na França e Brasil.

É na pele das uvas tintas que encontramos os pigmentos, “os corantes”, que tecnicamente denominam-se polifenóis, são as antocianas isoladas e condensadas, catequinas, leucoantocianas, flavonóides e os famosos taninos isolados e condensados, todos esses participam dando cor ao vinho. Os pigmentos surgem quando ocorre a substituição da clorofila, exatamente no momento em que a pele que recobre o bago da uva muda de cor, essa fase é chamada de pintor.

Quanto aos métodos de produção dos vinhos rosés , podemos dividir em 3 métodos de vinificação desses deliciosos vinhos de cores tão atraentes. O método mais usado é o controlado no momento da prensagem em que o enólogo controla o tempo e a temperatura do contato da película com o mostro, decidindo que tipo de perfil de vinho rosé ele deseja. O segundo método ilustrado acima pela figura, mostra o momento em que o enólogo faz a sangria do vinho após a maceração e prensagem , do mostro que será destinado a ser vinho tinto, portanto antes da fermentação, o técnico faz a retirada de uma pequena quantidade que deseja. O terceiro método é chamado de corte ou lote , onde é feito um lote da maior parte de vinho branco a uma pequena parte de vinho tinto, esse método é mais usado nos cortes dos Champagne rosés.

Dependendo do método de produção e do perfil que o enólogo deseja para o vinho rosé que está sendo produzido, eles podem ser visualmente de diversas cores, ter uma enorme quantidades de aromas e sua estrutura pode ser diferente um do outro, com isso, possibilitando diversos tipos de harmonizações dos mais variados tipos de rosés e até diferentes temperaturas de serviço do vinho.

Quando se pensa em rosés no mundo dos vinhos, logo vem na mente uma das mais magníficas regiões vitivinícolas do mundo para produção de vinhos rosés, claro que estou me referindo a região da Provence, localizada no sul da França, onde lá eles são os verdadeiros reis.

Na região da provence são cultivadas principalmente as castas Grenache, Cinsault , Mouraèdre e a Garignan para vinificação dos vinhos rosés. Toda a região é riquíssima em história e de paisagens monumental. O clima deste terroir se caracteriza por grande influência mediterrânea que traz ventos úmidos, e ameniza a amplitude térmica, recebe também influencia dos Alpes, que trazem ventos frios na área mais a leste, e do vento Mistral que se trata de um vento frio e seco que vem do norte, canalizado pelo rio Ródano, leva embora umidade, mas pode danificar uvas e vinhas, dependendo da intensidade. Já seu solo é composto de solos predominantemente argilo-calcários.

A harmonização com os vinhos rosés a cada dia vem ganhando mais destaque, isso devido nos permitirem uma enorme versatilidade, podendo harmonizar perfeitamente desde frutos do mar, peixes, saladas, culinária asiática , carnes leves como frango, massas e até uma pizza . Já os rosés mais encorpados podem harmonizar até com uma bela carne de suíno e de vitela. Já fiz inúmeras provas de vinhos rosés de diversos terroirs vínicos no mundo, separei alguns tipos para fazer alguns breves comentários.

Esse é um rosé brasileiro do produtor Villaggio Bassetti , de São Joaquim (SC), vinhedo de altitude com uma média de 1300 m acima do nível do mar. É um vinho rosé blend com as castas Sangiovese, Pinot Noir, Merlot e Syrah. Vinho leve e agradável de cor pêssego à salmão, que se apresenta macio na boca e possui um retrogosto muito agradável com boa persistência.

Esse é um vinho rosé português da Quinta do Ortigão da região DOC Bairrada. Foi produzido com as castas Baga e Touriga Nacional. possui cor rosa pálida provençal, se comporta elegantíssimo , ideal para aperitivos ou beira de piscina. Tem um aroma agradável floral com leves notas de cereja e amora. Harmoniza divinamente com frutos do mar, peixes grelhados e aperitivos.

O espumante Quinta dos Abibes do terroir Bairrada com 100% casta Baga , é um verdadeiro mimo aos nossos sentidos . Dono de uma enorme delicadeza, apresenta-se frutado, fresco, com um mousse cativante, muito harmonioso e com final persistente. Tem cor rosa definida, ficou 12 meses em cave mais 1 mês após o dégorgement. Espumante rosé bem versátil podendo acompanhar bem peixes grelhados, carnes brancas grelhadas e charcutaria não condimentada.

O vinho rosé da Quinta do Soito , região do Dão, é um vinho de cor vibrante com o tom de rosa framboesa , produzido com as castas Touriga Nacional, Alfrocheiro e Tinta Roriz. No nariz apresenta-se elegante e com notas de cereja fresca. Em boca elegância e volume com final requintado e persistente.

Esse alentejano rosé Couto Saramago da Herdade da Rocha é vinho produzido com 100% Touriga Nacional . De cor salmão rosado, apresenta aromas delicado de frutos vermelhos maduros, com maior percepção de morango, um toque de pimenta e frutos secos. Ele é fresco , delicado e com boa persistência em boca.

O rosé da linha Estate Selection da eslovena Puklavec Family Wines é um vinho 100% com a uva Pinot Noir da região Štajerska. Ele é fresco e vibrante, um vinho que harmoniza muito bem peixes grelhados e saladas leves .

O espumante brasileiro Cave Amadeu é 100% Pinot Noir , passou por 12 meses de maturação , apresenta-se de cor cereja claro , com uma linda perlage , possui um delicioso aroma de frutas vermelhas com evidencia para o morango, já na boca apresenta uma refrescante acidez com bom volume e persistência em boca. Ele é extremamente agradável e nos dá uma grande versatilidade para harmonizações.

Independente de qual tipo de vinho rosé você abrirá hoje para refrescar o seu dia , espero que as cores , os aromas e os sabores deles possam contribuir para lhes proporcionarem momentos inesquecíveis e cheios de felicidades !

Saúde, Santé, Cheers , Nasdravije , Evoé !!!

Fontes :

Wine Folly The Master Guide , Magnum Edition , Madeline Puckette and Justin Hammock

Os Segredos do Vinho, Mescla Editorial, José Osvaldo Albano do Amarante

O Guia Essencial do Vinho Wine Folly, Editora Intrínseca, Madeline Puckette and Justin Hammack

Conhecer e Trabalhar o Vinho, Editora Litexa, Emile Peynaud

ABC Ilustrado da Vinha e do Vinho , Editora Mauad , Euclides Penedo Borges

Manual Técnico de Vinhos, Editora Turismo de Portugal , Luis Lima,João Covêlo, Paulo Pechorro, Luciano Rosa, Carlos Freire Correia

A Little Course in Wine Tasting, Editora DK, David Williams

O Livro do Vinho, Editora Publifolha, Vincent Gasnier

O Guia Completo do Vinho, Editora Quarto, Katherine Cole

World os Wine, Editora Pavilion, OZ Clarke’s

Wine , Editora H.F.Ullmann, André Dominé

https://www.vinha.pt/como-se-fazem-vinhos-roses/

https://enocultura.com.br/metodos-para-producao-de-vinhos-roses/

http://vidaevinho.com/vinhos-roses-2/



Um comentário sobre “Os Encantos dos Rosés

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s